Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jornal Digital

Notícias do Agrupamento de Escolas de Matosinhos

Jornal Digital

Notícias do Agrupamento de Escolas de Matosinhos

Os génios das lâmpadas

Conseguem milagres com um simples maçarico…

De facto e, à semelhança de anos anteriores recebemos a visita de dois artesãos (pai e filho), que encantam todos aqueles que, nos últimos dias, cruzam o átrio da nossa escola e observam fascinadamente a arte vidreira aí produzida!

José Luís Garcia Anacleto e o seu filho Paulo Jorge Pinto Anacleto, são espécie de mágicos que transformam lâmpadas fundidas em peças de artesanato, bastando-lhes o calor de um maçarico para moldar o frágil vidro como se fosse barro ou plasticina.

José Luís, aventureiro, nómada, atravessou Portugal de lés a lés, passando por África, tendo perto de 68 anos de profissão na arte vidreira.

Começando aos 14 anos, com lâmpadas fluorescentes fundidas, mendigadas ao eletricista da esquina, sentiu-se “mágico” quando, finalmente, conseguiu vergar o vidro aos seus caprichos, convertendo uma das lâmpadas num tosco candeeiro. Ofereceu a peça a uma vizinha por quem morria de amores, no Bairro da Madre de Deus, em Lisboa, e abalançou-se a nova experiência, moldando um pato em vidro, que conseguiu vender por dez tostões, num ápice.

Saindo cedo de casa, carregando o maçarico, umas quantas lâmpadas e muita vontade de vencer, percorre o País várias vezes, conseguindo ter bastante êxito comercial, tentando também a sua sorte em Angola e Moçambique, onde peripécias várias estiveram de mãos dadas com a sua arte.

Regressado a Portugal em 1976 e, na companhia do filho já crescido, continua durante muitos anos a mostrar a sua arte em feiras, mercados e certames em Espanha e França, orgulhando-se da sua errante vida e da continuidade da sua arte estar assegurada.

Bem hajam

A Direção

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.